skip to Main Content

Histórias sobre a cultura da DB1 – Pilar Energia

A cultura da DB1 é baseada em 7 pilares. Aqui no blog, você já pode encontrar nosso código de cultura completo, e também o primeiro post desta série de histórias: o pilar lócus de controle, que fala sobre nosso empoderamento, comprometimento, responsabilidade e autonomia.

Agora, você conhecerá o pilar energia, que é feito pelos seguintes valores:

  • Intensidade
  • Resiliência
  • Curtir a jornada

Veja como vivemos esse pilar por aqui!

A energia na cultura da DB1

insígnia do pilar energia DB1
Insígnia do pilar Energia

Em nosso código de cultura, cada pilar possui um texto único que reúne seu significado em nosso cotidiano juntos.

Conheça o texto sobre energia:

“Tenho a sensação de que nunca trabalhei tanto na minha vida e ao mesmo tempo nunca me senti tão realizado. Tudo é muito intenso e coleciono dias memoráveis com pessoas incríveis.

Frequentemente preciso colocar ritmo nas minhas atividades e no trabalho da equipe, senão não damos conta.
Muitas vezes surgem adversidades. Algumas nem chegam ao conhecimento, outras me exigem um esforço extra e mais de uma tentativa para superá-las.

Preciso me concentrar no que estou fazendo e me empenho a cada minuto para conquistar os objetivos, e assim o dia vai embora e quase nem vejo a hora passar. Parece difícil, mas não é. É quase natural, nem sei como faço o que faço…, mas faço. Parece que deveria ficar cansado ou triste, mas quando olho para o que fiz, para os desafios que superei, me sinto bem, me sinto realizado e isso reestabelece minhas forças com sobra de energia.

Olho para o lado e vejo nessa intensidade pessoas felizes o tempo todo. Elas sabem que estão evoluindo, sabem que estão entregando coisas incríveis que muitos times não seriam capazes de entregar. Com isso colecionamos histórias que nos divertimos a contar quando nos reunimos, são muitas gargalhadas dos tropeços e das conquistas.

Quando olhamos para trás, sabemos que vivemos cada minuto com muita intensidade e muita energia.
Aproveitando a vida que nos foi dada para fazer algo que nos traga orgulho do feito e de nós mesmos”.

 

Histórias reais de colaboradores que vivem o dia a dia da DB1 com energia

Deu pra ver que esse pilar é vivido intensamente, né? Ainda no código de cultura, temos uma coletânea de histórias reais que os colaboradores enviaram sobre cada um dos pilares. Leia abaixo as histórias enviadas por Fagner de Melo, Alexandre Scola e Edson Ferrari:

Quando o servidor sente o cheiro do seu medo

“Essa história aconteceu em 2009, logo quando entrei na DB1 e trabalhava como desenvolvedor em um time de ERP. Um dos clientes passou por um processo de venda de parte da empresa. Por questão de qualidade, usávamos 2 servidores espelhados para hospedar o ERP e banco de dados. Justamente para o caso de se um servidor falhar, mesmo nunca tendo falhado, ter o outro rodando.

Como durante um bom tempo, o serviço não havia falhado, eles decidiram ficar durante 15 dias com um só servidor, até encontrar um novo, pois haviam divido os 2 entre eles. É aí que entra a Lei de Murphy.

O HD do servidor dele pifou, o backup estava antigo e ele não tinha um servidor espelhado, ou seja, CAOS! Pela primeira vez, eu senti na pele o que era energia, esforço e comprometimento. Nesse dia, o gestor da parte do cliente se mobilizou saindo de São Paulo no meio da noite, passou em casa 03:30 da manhã e começamos o trabalho para voltar
o servidor por volta das 04:00 horas.

Passamos a noite inteira nesta missão para sair desse cenário de caos. Tínhamos que subir de novo o ERP, voltar o backup, importar dados e perder o mínimo possível de informações. Foi um trabalho muito forte, muita energia,
muito esforço. Mais de 20 horas de trabalho sem parar até meia-noite do outro dia para ter garantia que estava tudo certo novamente.

Refizemos a implantação, importação de arquivos, testamos, validamos… Enfim, depois de muito esforço voltamos ao cenário que estávamos antes. Para mim, isso mostrou a energia, esforço e o comprometimento da DB1 com os clientes”.

Autor: Fagner de Melo

Se o Palio pudesse falar…

A história que eu quero relembrar é de logo quando entrei na DB1. Na época éramos em menos de 30 colaboradores, não era essa galera que temos hoje. Naquela época a unidade DB1 Global Software era apenas o ERP. Então fechamos um projeto com uma cooperativa.

Como o Ilson (CEO do DB1 Group) havia trabalhado anteriormente com eles, conseguimos um projeto bem ousado, com mais de 18 mil horas para serem entregues. Não tinha ninguém pra tocar o projeto. Tivemos um ciclo de entrevistas e foram contratadas algumas pessoas. Foi aí que entrei, como estagiário. E esse começo foi muito difícil. Longe de casa, fora da DB1, equipe inteira alocada no cliente, tudo isso fazia parte da minha realidade…

Uma coisa que me marcou bastante foi que toda semana tínhamos que viajar para Guarapuava. Saíamos da DB1 no domingo às 16h e chegávamos lá por volta de 1 hora da manhã da segunda-feira. Na manhã seguinte, 07h45 já estávamos no cliente para começar os trabalhos. Trabalhávamos a semana toda por lá, e quando chegava as 16h da sexta-feira, parávamos as atividades e voltávamos para Maringá com o carro da empresa.

A DB1 não tinha carro próprio e naquele tempo locar veículos era luxo. Na época o Ilson tinha um Palio bonito pra caramba. Funcionava assim: às 15h o gerente do projeto passava para me buscar, então íamos até a casa do Ilson, que na época morava no final da Kakogawa. Eu entrava dentro da casa dele, pegava a chave e tirava o carro da garagem. Depois passava pegar o resto da galera para então seguir viagem, ou seja, nós ficávamos a semana inteira com o carro dele em Guarapuava. Pra falar a verdade eu nem sei como ele se virava pra passar a semana sem carro aqui em Maringá.

Na sexta-feira chegávamos em Maringá de noite, eu deixava o pessoal em casa e ia até a Trecsson. Era abaixar o banco e capotar de sono. Acordava no meio da noite, quando acabava a pós-graduação, com o Ilson batendo no vidro pra me acordar. Então ele me deixava em casa e ficava com o carro no sábado e metade do domingo, quando eu voltava pra casa dele para pegar o Palio e seguir para Guarapuava. Isso me marcou bastante, essa época da DB1… Quando começamos a bater as primeiras estacas da DB1 IT Services. Tudo nasceu de muita energia”.

Autor: Alexandre Scola

Não vou embora enquanto não fazer isso funcionar!

“No começo de 2015, quando eu era Scrum Master no ANY, tínhamos um parceiro no interior de São Paulo que tinha uma integração que não funcionava de jeito nenhum. Era um desafio muito grande.

Nós decidimos que íamos fazer isso funcionar. Ficamos dois dias trabalhando dentro do parceiro. Enquanto não conseguimos resolver, não viemos para casa.

No final do segundo dia conseguimos resolver tudo e deixamos o cliente com tudo funcionando. Essa história de comprometimento me marcou muito”.

Autor: Edson Ferrari.

Viva histórias como estas na cultura da DB1

Se você se identificou com os autores das histórias, também é uma pessoa intensa e que curte a sua jornada mesmo diante de adversidades. Aqui na DB1 você terá espaço para criar histórias que te trarão orgulho durante toda a sua carreira.

Quem sabe se a próxima história que publicaremos será sua? Se você só está esperando uma vaga em uma empresa que leva cultura a sério, essa é sua oportunidade. Na DB1 os projetos estão em constante crescimento, pois nossa energia também nos permite evoluir cada um deles.

Venha para o time!

banner-para-vagas-db1

Compartilhe:

This Post Has 0 Comments

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top