skip to Main Content

Histórias sobre a cultura DB1 – Pilar lócus de controle

Você já pode ver aqui no blog o nosso código de cultura completo. Nele, deixamos claro o nosso orgulho de ter uma cultura viva, que acompanha mais de 600 pessoas de um jeito tão natural. Hoje, começamos uma série focada nas histórias reais que os colaboradores da DB1 vivem em relação a cada pilar da cultura, provando o quanto ela é presente na vida de cada um!

O pilar de hoje é o que chamamos de lócus de controle, que envolve os valores:

  • Empoderamento
  • Comprometimento
  • Responsabilidade e autonomia

Conheça abaixo um pouco mais sobre esse pilar da cultura DB1!

O lócus de controle em nossa cultura

insígnia do pilar lócus de controle DB1
Insígnia criada para o pilar lócus de controle

Em nosso código de cultura, cada pilar possui um texto especial que reúne tudo o que ele representa em nosso dia a dia.

Esse é o texto que acompanha o lócus de controle:

Sou movido por um enorme desejo de fazer as coisas acontecerem, pois sei que sou capaz de muitas coisas, e não desperdiçarei oportunidades desafiadoras para mostrar do que sou capaz. Sou protagonista da mudança que quero e não espero que outras pessoas venham e tomem atitudes por mim.

Não preciso de salvadores, mas conto com o apoio de todos à minha volta, pois minha causa, embora perto do impossível, é nobre. Juntos vamos conquistar os objetivos e superar cada desafio. A perspectiva sempre é de estar no centro das coisas, com autonomia e responsabilidade para mudar o mundo ao meu redor. E minha ação, por mais singela que seja, impacta tanto nos grandes feitos, quanto nas coisas mais cotidianas.

Detalhes podem impactar positivamente o dia, a carreira e talvez a vida das pessoas… E não perco a oportunidade de contribuir com tudo que está a meu alcance. Persisto uma, duas, três… incontáveis vezes para atingir os objetivos, indo muito além do que poderia ser considerado nossa parte. E eventualmente não sou a solução, mas sei que posso agir como ponte entre os que podem ser a solução.

Não sou intrometido, simplesmente sei que a responsabilidade pelo sucesso ou fracasso é de todos e principalmente minha, assim sou útil na vida daqueles que vivem à minha volta. Não me justifico perante os outros, mesmo quando algo não é bem-sucedido. Simplesmente peço desculpas, sacudo a poeira e vou para o próximo combate, no próximo ataque a conquista será minha.

Essa posição de vida exige coragem, pois é muito mais simples viver dizendo “Eu fiz minha parte!”, dando justificativas pelo fracasso, ou colocando a culpa em algo ou alguém. E se me disserem que é impossível ou que não é problema meu, fico ainda mais motivado a ir em frente… Sei que estou no caminho certo pois sou responsável por tudo que acontece ao meu redor.

Histórias reais de colaboradores que vivem o lócus de controle na DB1

Cada pilar é intensamente vivido aqui. Para cada um deles, nossos colaboradores contribuem com suas histórias de momentos marcantes.

Leia abaixo o que contam Wilde Rossi e Edson Ferrari.

A DB1 é diferente

No edital de um projeto, acabamos estimando um valor muito baixo, o que deixou o projeto no vermelho. Houve diversas mudanças de gestor e a qualidade do código estava comprometida.

Havia muitas desistências do projeto e um grande desalinhamento, o que gerava insatisfação do cliente. Quando entrei nesse projeto, uma coisa me marcou muito. Nunca conseguimos tirar esse projeto do vermelho, mas conseguimos melhorar, e quando fomos encerrar o contrato, o cliente falou:

“Edson, a DB1 é diferente. Tivemos problemas de contrato com muitas outras empresas, e com todas houve problemas de qualidade, mas com vocês não. Mesmo com problemas de contrato vocês melhoraram a qualidade, isso é diferente. Vocês garantiram a entrega e assumiram o compromisso até o fim’’.

Isso dá um orgulho danado, e até hoje tem sistema nosso rodando por lá.

(História enviada por Edson Ferrari, gerente de portfólio na DB1)

Pessoas engajadas na minha causa

No ano passado (2018), fui o responsável do CBPGP pela prática do Dia dos Pais. Nas reuniões do conselho definimos que no final do expediente daquele dia, nós abriríamos a empresa para que os filhos dos colaboradores nos fizessem uma visita e conhecessem a empresa que o pai trabalha.

Ocorreu que eu esqueci completamente que já tínhamos a catraca, que ainda não estava bem consolidada para recebermos visitantes como é hoje, e a ISO de segurança só permitiria visitantes sem identificação até uma certa idade.

Algumas horas antes da visita, percebi que tinha esquecido disso, e resolvi descer na recepção pra perguntar como ficaria essa questão. Fui surpreendido quando a nossa recepcionista me disse que já estava terminando de conversar com a responsável do Facilities, e que eu não precisava me preocupar, pois a visita seria um sucesso.

Até hoje não sei qual das duas que começaram a tocar essa ação, mas o fato é que havia pessoas engajadas na minha causa, me ajudando, e eu nem sabia disso. Fiquei muito feliz quando percebi que aqui as pessoas são tão competentes que eu não precisei nem solicitar ajuda.

(História enviada por Wilde Rossi, desenvolvedor full stack na DB1)

Viva o lócus de controle com a DB1

Você se identifica com essa postura de responsabilidade e autonomia? A DB1 está sempre em busca de talentos que se identificam com a cultura vivida aqui. Se você leu as histórias e pensou: “Eu gostaria de trabalhar em um ambiente assim”, saiba que nós gostaríamos muito de conhecer você! 🙂

Temos mais de 100 vagas abertas, e uma dessas oportunidades pode ser perfeita para o seu perfil. Venha para uma das empresas que mais crescem na América Latina (segundo a Financial Times), e que está há 11 anos seguidos no ranking Great Place to Work!

Quero me candidatar

Compartilhe:

This Post Has 0 Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Back To Top